quinta-feira, 10 de abril de 2008

Meu Amor

Menti, iludi, manipulei, desiludi, magoei. Pelos vistos é basicamente isto. Ah, e sou alucinado. É importante referir isso.
E também nunca fiz esforço nenhum por a nossa relação. Pior, acabei com ela assim do nada, pelo telefone. Que cobarde que eu sou.
Mas pronto. Queres os motivos para a minha subita decisão. Pedes-me isso cada vez que me pedes para te ligar.
Simples meu amor. Estou farto de ti.
Rude? Não. Apenas sintético.
Merdas de que me fartei em ti:
- Ter que levar com os "amiguinhos queridinhos da baixa porque a baixa tem estilo". Meu amor, quando nos conhecemos eu já estava a sair desse mundo. Como achas que me sinto dois anos e meio depois, ao ser forçado a ver pessoas que desprezo, e fingir dar-me bem com eles.
- Ter que aturar as tuas neuras todas, alinhar nos teus esquemas todos, e no momento em que eu me vou abaixo, virares-me as costas. E não foi uma unica vez.
- Ter começado a fazer tratamento psicologico porque tu dizias que eu precisava de ajuda. Mas e tu?
- Ter que saber que desde que vieste pra cá fodeste toda a gente. Menos eu claro. Mas eramos um casal. Ou eu era um bonequinho giro para mostrar. Nem quero desenvolver esta ideia.
- Ser trocado por alguém que se conhece nessa noite.
- Ter que almoçar fora de casa, tomar café longe, visitar as mesmas lojas todos os dias até já tratar por tu os empregados e os convidar para beber um copo, pelo incomodo.
- Ter que te ouvir falar das experiencias excelentes que tiveste entretanto, e nenhuma me incluir.
- Ter que fingir algo que foi um trauma. Ter que realmente repensar em tudo o que me passou pela cabeça naquele verão. As possibilidades voltaram e eu voltei a cair na mesma merda.
- Epah, eu nem queria ser porco, mas pronto, tem que ser. Fartei-me de ter que me masturbar a fantasiar com uma qualquer actriz porno, como fazia aos 16 anos. Porquê? Por ter namorada.
- O ponto anterior dura relativamente pouco. Sou adulto, sexualmente activo e o sexo é uma das minhas necessidades do dia a dia. Ok, talvez me contente com menos se tiver que ser, mas nada não dá. E pronto, sabes como é, sextas no bairro podem ser muito confusos para a cabeça de um bisexual sexalmente reprimido, e metes umas vodkas no meio e cinco ou seis charros, e aquela xavala que comi no verão a aparecer ali de novo e ter dinheiro para o taxi. Bem, sabes como é, uma coisa leva à outra.
Claro que não me lembro muito bem, mas sei que me soube pela vida. Mas não vamos comentar isso.
E pronto, botom line, pah, é o karma ou o caralho, mas pronto...
Pah, isto piora, mas é melhor parar aqui.


Amo-te, só não consigo aturar-te mais.
Um beijo,
Chainer

Um comentário:

Catarina disse...

Well...

(gargalhada)

Deita tudo pra fora!!!

beijinho Chainer =)